HB Vida

  • O que é hipertensão?

    • Hipertensão arterial ou pressão alta é uma das doenças com maior prevalência no mundo moderno. Um indivíduo é considerado hipertenso quando sua pressão está igual ou acima de 14 x 9 e possui mais de 18 anos de idade. É uma doença que não tem cura, mas que pode ser controlada e seu portador pode levar uma vida normal.

  • Quais os riscos?

    • A hipertensão arterial é um dos fatores determinantes para ocorrência de doenças cardiovasculares (insuficiência coronária, derrame, infarto agudo do miocárdio), renais (insuficiência renal e nefropatia hipertensiva) e cerebrais (acidente vascular cerebral e demência vascular). Devido ao fato de não apresentar sintomas, o diagnóstico pode ser tardio e sendo assim causar prejuízos à saúde.

  • Quais são os sintomas?

    • A hipertensão arterial é considerada uma doença silenciosa, ou seja, na maioria dos casos não apresenta sintomas e quando os mesmos ocorrem, costumam ser vagos e comuns a outras doenças. Somente quando um indivíduo é hipertenso arterial grave ou não tratado apresenta dores de cabeça, vômito, cansaço, dispneia ou falta de ar, palpitação e, no caso das mulheres, diminuição da menstruação.

  • Como é feito o diagnóstico?

    • Segundo a Sociedade Brasileira de Hipertensão, uma em cada quatro pessoas adultas é hipertensa, tendo como base a pressão normal de um adulto que é, em média, 12 x 8. Para um diagnóstico mais preciso é necessário que a pressão seja medida em repouso de 15 minutos, confirmada por três vezes consecutivas e durante repetidas visitas médicas (uma única medida de pressão não é suficiente para determinar a patologia).

  • Quais exames seu médico pode pedir?

    • Eletrocardiograma ou Ecocardiograma

      Exame de sangue

  • Tratamento

    • Apesar da hipertensão arterial não ter cura, é possível controlar a doença a partir da adoção de hábitos saudáveis e reeducação alimentar. Somente um médico pode receitar medicamentos para auxiliar no controle da doença, portanto, nunca é recomendado o uso de qualquer tipo de medicação sem prescrição médica ou a interrupção da mesma por conta própria.

  • Como prevenir?

    • • Reduzir a quantidade de sal

      • Controlar o peso

      • Aumentar a ingestão de alimentos ricos em potássio

      • Praticar exercícios físicos regularmente

      • Evitar alimentos gordurosos

      • Reduzir o consumo de bebidas alcoólicas e refrigerantes

      • Não fumar

  • O que é estresse?

    • Considerada uma doença do mundo moderno, o estresse pode ser definido como uma soma de respostas físicas e mentais do organismo a estímulos externos, o que desencadeia um desequilíbrio fisiológico (tensão física, mental ou emocional).

  • Como ocorre o desequilíbrio fisiológico?

    • Estímulos extras como medos, angústias, excitações, agressões externas, mudanças de ambiente ou trabalho, entre outros excedentes são fatores determinantes para gerar um desequilíbrio fisiológico. Para combater tais estímulos, o organismo dispara um alerta geral, estimulando o sistema físico-químico e o sistema nervoso a se defenderem, o que ocasiona um gasto extra de energia física e mental para que a homeostase anterior seja mantida, em busca de um equilíbrio adequado. Quanto maior o período de exposição aos estímulos externos, maior será o gasto de energia, o que pode levar o indivíduo a não suportar a pressão e a desenvolver vários tipos de doença.

  • O que causa estresse?

    • O estresse pode ser causado por fatores externos negativos, como ameaças constantes, competitividade, falta de tempo para si mesmo, ansiedade, depressão, baixa autoestima, problemas em casa ou no trabalho, perda de um ente querido, entre outros. Além de fatores externos positivos como casamento, nascimento, mudança de ambiente ou trabalho, por exemplo. Em ambas as situações ocorre uma mudança brusca no estilo ou qualidade de vida do indivíduo, gerando uma necessidade de adaptação quase que imediata, o que pode ocasionar estresse.

  • Como surgem os principais sintomas?

    • Em fase aguda do estresse, o organismo libera muito “cortisol”, afetando diretamente a memória, causando esquecimento, falhas e pequenos lapsos. O coração começa a bater mais forte e rápido a fim de suprir a renovação de oxigênio e energia consumidos. Em cada indivíduo os sintomas se manifestam de maneira diferente, de acordo com a capacidade de lidar ou não com a situação.

  • Quais são os principais sintomas?

    • • Irritabilidade

      • Cansaço frequente

      • Gripes e resfriados constantes

      • Tristeza e desânimo durante execução de tarefas

      • Insônia ou excesso de sono

      • Angústias ou medos

      • Alterações no apetite

  • Como amenizar os sintomas?

    • • Respeitar os limites do organismo

      • Dormir bem

      • Alimentação saudável

      • Praticar exercícios físicos regularmente

      • Evitar excessos (trabalho, bebida, comida)

      • Respeitar os momentos de lazer


      Procurar um profissional antes do agravamento dos sintomas

  • O que é tabagismo?

    • O tabagismo é uma toxicomania caracterizada pela dependência física e psicológica do consumo de nicotina, substância alcaloide básica, líquida e de cor amarela, que constitui o princípio ativo do tabaco.

  • O tabaco pode causar

    • • Câncer de boca e vias respiratórias

      • Doenças pulmonares e doenças cardíacas (fumante ativo e passivo)

      • Impotência sexual

      • Complicações na gravidez

      • Aneurismas cerebrais

      • Úlcera do aparelho digestivo

      • Infecções respiratórias

      • Tromboses vasculares

  • Grávidas fumantes aumentam o risco de

    • • Perder o bebê durante ou após o parto

      • Abortar (de maneira involuntária)

      • Entrar em trabalho de parto antes do tempo previsto (prematuro)

      • Gerar um bebê com peso abaixo do ideal

  • Como o corpo reage sem a nicotina?

    • • Em 20 minutos a pressão sanguínea e a pulsação voltam ao normal

      • 02 horas depois não há nicotina circulando no sangue

      • Entre 12 e 24 horas seus pulmões já funcionam melhor

      • Após 02 dias, o olfato e o paladar reconhecem melhor odores e sabores

      • Em 03 semanas tanto a circulação quanto a respiração apresentam melhora significativa

      • 01 ano depois o risco de morte por infarto do miocárdio reduz a metade


      Após 05 a 10 anos o risco de infarto será igual ao de um indivíduo que nunca fumou

  • Você precisa saber

    • • Para a maioria das pessoas, as primeiras 02 ou 03 semanas são sempre as mais difíceis

      • Mesmo após meses ou anos sem fumar, não é recomendado fumar nem um único cigarro, já que o risco de recaída é muito grande

      • Cada cigarro contém 4720 substâncias tóxicas, sendo a maioria dessas cancerígenas


      Aproximadamente, 04 milhões de pessoas morrem no mundo todo vítimas de doenças causadas pelo cigarro, segundo o Ministério da Saúde

  • Como deixar de fumar?

    • • É fundamental determinar uma data para abandonar o vício

      • Sempre comunicar familiares e amigos sobre a decisão

      • Pastilhas, balas e chicletes são opções práticas na tentativa de diminuir a ansiedade

      • Importante manter a mente ocupada, desviando assim o foco do cigarro

      • Retirar cigarros, isqueiros, cinzeiros ou fósforos de casa, do carro e do trabalho

      • Para manter o peso, é essencial fazer pequenas refeições de três em três horas

      • Não deixar de ingerir muita água e praticar exercícios físicos regularmente

      • Nas primeiras semanas é bom evitar qualquer tipo de reunião social

      • Substituir o café por uma fruta ou suco (muitos relacionam o café com o ato de fumar)


      Nunca usar qualquer tipo de medicamento sem prescrição médica

  • O diabetes é uma doença bastante comum, porém, muitos não sabem que são portadores da mesma. Por isso, caso apresente os sintomas acima, consulte um médico imediatamente para realização de exames.

  • O que é diabetes?

    • O diabetes é uma doença caracterizada pelo aumento anormal de açúcar ou glicose no sangue. Não tem cura definitiva, entretanto, existem tratamentos disponíveis que proporcionam melhor qualidade de vida ao paciente portador.

  • Há dois tipos de diabetes...

    • Tipo 1

      O diabetes tipo 1 é desencadeado mais cedo, atingindo crianças e adolescentes. É caracterizado pela falta da insulina. Nesses casos, é obrigatório uso da insulina e planejamento alimentar (dieta balanceada).

      Tipo 2

      Este tipo atinge com maior frequência o adulto e aquelas pessoas com antecedente familiar, mais comum em pessoas com excesso de peso. O diabetes tipo 2 pode ser prevenido ou adiado por meio de hábitos saudáveis (dieta balanceada, exercícios físicos, controle de peso e medicamentos), apesar do fator genético. Normalmente, não é necessário o uso da insulina.

  • Sintomas do Diabetes

    • Sede excessiva

      Grande quantidade de urina

      Fome exagerada

      Cansaço frequente

      Perda de peso

  • Hipoglicemia ou baixo nível de açúcar no sangue

    • A hipoglicemia ocorre quando a quantidade de açúcar no sangue está abaixo do normal (60mg/dl). Na maioria dos casos, ocorre devido à falta de alimentação, excesso de exercícios físicos ou doses altas de insulina e/ou medicamentos.

      Os sintomas clássicos da hipoglicemia são sudorese, fraqueza, sonolência, palpitação, tremores, visão turva ou dupla, tontura, fome súbita, palidez, pupilas dilatadas e confusão mental.

  • Hiperglicemia ou elevado nível de açúcar no sangue

    • O nível normal de glicose no sangue é 99mg/dl, antes da refeição, e 140mg/dl, 02 horas após a refeição. Alterações nesses níveis podem indicar elevado nível de açúcar no sangue.

      Os sintomas mais comuns da hiperglicemia são excesso de urina, sonolência, dores de cabeça, pele seca, cansaço, sede, fome súbita, hálito adocicado e dificuldades para respirar.

  • Planejamento alimentar

    • O nutricionista é o especialista indicado para elaboração de um cardápio saudável e para a reeducação alimentar. É fundamental uma orientação para seleção de alimentos capazes de auxiliar no controle do nível de açúcar no sangue, tanto para mais, quanto para menos. Por isso, cuidado com alimentos como pães e massas (carboidratos são açúcares), vegetais, frutas, doces e refrigerantes que afetam o nível de açúcar no sangue de diferentes maneiras. Respeitar os horários das refeições é primordial para o controle do diabetes e uma melhor qualidade de vida.

  • Como controlar o açúcar no sangue?

    • • Utilizar aparelhos ou canetas de monitoramento glicêmico que determinam a quantidade de açúcar no sangue, no caso dos portadores do diabetes tipo 1

      • Seguir as orientações médicas

      • Medicamentos somente prescritos pelo médico, respeitando os horários determinados

      • Seguir as orientações do nutricionista quanto ao planejamento alimentar

      • Praticar exercícios físicos regularmente, orientado por um profissional especializado

      • Fazer um controle glicêmico periódico, com supervisão de seu médico endocrinologista.

  • O que é nutrição?

    • A nutrição é a ciência que estuda a composição dos alimentos e as necessidades nutricionais do indivíduo, em diferentes estados de saúde e doenças. Fornecer alimentos ao organismo é um ato voluntário, porém necessário à sobrevivência de qualquer ser vivo. Assim que os alimentos são ingeridos e transformados em nutrientes tem inicio à nutrição.

  • Dicas

    • Beber bastante água durante o dia (1,5 litros no mínimo)

      Ingerir alimentos ricos em fibras, como verduras, frutas e legumes

      Evitar doces, refrigerantes e bebidas alcoólicas

      Fazer pelo menos cinco refeições por dia (não beliscar entre as refeições)

      Evitar dietas milagrosas (sempre consulte um nutricionista)

      Começar sempre a refeição com um caprichado prato de salada

      Preferir carnes magras, peixe e filé de frango, cozidos ou grelhados

      Evitar fazer compras no supermercado com fome

      Não ingerir líquidos durante as refeições

      Frutas, barras de cereais e iogurtes lights são sempre uma excelente opção de lanche

      Evitar alimentos enlatados ou embutidos

      Preferir leite desnatado ao integral

      Reduzir a quantidade de sal

      Mastigar bem os alimentos durante as refeições

      Praticar exercícios físicos regularmente

  • Pirâmide alimentar

    • Os alimentos que estão na base da pirâmide devem estar presentes nas refeições em maior quantidade. Assim, na medida em que for subindo os níveis, a frequência ou quantidade dos alimentos deve ser reduzida ou restringida.

      < Foto ilustrativa: Pirâmide Alimentar >

  • Guia Nutricional de Alimentos

    • Segue abaixo uma lista com exemplos de alguns dos alimentos mais indicados para um consumo consciente e saudável.


      • Legumes e frutas podem e devem ser consumidos regularmente, como tomate, alho, pepino, pimentão, berinjela, beterraba, cebola, batata doce, acelga, cenoura, nabo, ervilhas, maçã, abacate, banana, abacaxi, mamão, morango, melancia, limão, figo, uva, laranja e melão.

      • Não há restrições quanto ao consumo de verduras, como a alface, agrião, rúcula, espinafre, couve e almeirão.

      • Cereais integrais são melhores fontes de fibras, como trigo, cevada, arroz integral, quinoa, aveia, centeio e milho.

      • Os lacticínios são importantes fontes de proteínas, cálcio e vitaminas, como iogurte, leite de cabra, leite desnatado, queijo branco e ovos.

      • As leguminosas fornecem a melhor fonte de proteína concentrada do reino vegetal, como feijão preto, branco e vermelho, lentilhas, grão de bico, soja, ervilhas secas e tofu.

      • O consumo de frutos secos é recomendado para aumento do bom colesterol e das lipoproteínas, mas devem ser consumidos moderadamente, devido ao fato de serem alimentos muito calóricos, como semente de girassol, linhaça e abóbora, caju, nozes, amendoim, castanha e amêndoas.

      • Carnes magras, peixes e filé de frango são fontes importantes de proteína.


  • Atenção!

    Qualquer tipo de transtorno ou disfunção alimentar causa sérios prejuízos à saúde. Em 2002, estimativas da Organização Mundial da Saúde (OMS) apontavam para a existência de mais de um bilhão de adultos com excesso de peso, sendo 300 milhões considerados obesos. No outro extremo, 90% das mulheres, em sua maioria jovens, sofrem de algum tipo de transtorno ou disfunção alimentar, como bulimia e anorexia. Consulte um nutricionista para realização de um planejamento alimentar e sempre desconfie de dietas milagrosas.

  • O que é obesidade?

    • A obesidade é considerada uma doença crônica não transmissível, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS). O excesso de peso nada mais é do que a ingestão alimentar superior ao gasto energético, o que ocasiona acúmulo de gordura no organismo e certos problemas de saúde.

  • Você está acima do peso?

    • Para descobrir a resposta para tal pergunta basta calcular o Índice de Massa Corporal (IMC), dividindo o peso do indivíduo (em kg) pela altura ao quadrado (altura x altura) em metros. O número será em kg/m² e deve ser interpretado da seguinte maneira:

      Clique aqui e calcule seu IMC.

      • menor que 18 kg/m² = subnutrido

      • de 18 a 26 kg/m² = normal

      • de 26 a 30 kg/m² = pesado

      • acima de 30 kg/m² = obeso

      • acima de 40 kg/m² = obeso mórbido


      Principais causas

      • Consumo exagerado de alimentos

      • Sedentarismo ou falta de atividade física

      • Hereditariedade (pai para filho)

      • Disfunções hormonais

      • Alterações emocionais (depressão, angústia, compulsão)

      • Dislipidemias (aumento da taxa de triglicérides e colesterol)


      Complicações...

      • Diabetes tipo 2

      • Hipertensão arterial

      • Doenças cardiovasculares

      • Infarto do miocárdio

      • Doenças osteoarticulares

      • Alteração no nível de triglicérides e colesterol

      • Derrame

      • Trombose


      Recomendações

      • Beber bastante água (1,5 litros no mínimo)

      • Consumir frutas, verduras e legumes

      • Reduzir a quantidade de sal e óleo vegetal no preparo dos alimentos

      • Não fazer as refeições em frente à televisão ou computador

      • Iniciar sempre a refeição com um prato caprichado de salada

      • Evitar bebidas alcoólicas e refrigerantes

      • Mastigar bem os alimentos

      • Não beliscar entre as refeições

      • Preferir carnes magras, filé de frango e peixes, grelhados ou assados

      • Evitar o consumo de doces

      • Respeitar o intervalo entre as refeições (no mínimo 05 refeições pequenas por dia)

      • Praticar exercícios físicos regularmente

  • Saiba que...

    • Não aposte em dietas ou medicações milagrosas. Tanto uma quanto a outra oferecem sérios prejuízos à saúde. Para perder peso, a melhor opção é uma alimentação balanceada e a prática regular de exercícios físicos. Converse com um nutricionista e faça um planejamento alimentar. Não utilize nenhum tipo de medicamento sem prescrição médica. Consulte um médico.

  • O que é?

    • É definida como qualquer movimento corporal que resulte em gasto energético maior que os níveis de repouso. A prática de atividade física regular é indicada como prevenção e tratamento de doenças crônicas e para aqueles indivíduos que já atingiram a terceira idade, promovendo e preservando a saúde em geral. É necessária uma avaliação individual para definição de frequência e qual tipo de atividade física é a mais indicada em cada caso, seguindo orientações médicas e de um profissional de educação física.

  • Recomendações

    • • Usar roupas leves e sapatos adequados

      • Ingerir água durante a realização de exercícios físicos

      • Respeitar os limites pessoais e informar qualquer tipo de lesão ou dor

      • Alimentação até 02 horas antes do treino

      • Evitar o fumo, bebidas alcoólicas e qualquer medicação sem prescrição médica

      • Iniciar a prática de atividade de física de forma lenta e gradual a fim de evitar lesões

      • Respeitar o tempo de adaptação do corpo

      • Realizar qualquer atividade física sempre após avaliação de um médico e um profissional de educação física

  • Benefícios

    • • Melhora da velocidade de andar

      • Melhora do equilíbrio

      • Diminuição da pressão arterial e dos níveis de triglicerídeos sanguíneos e lipoproteínas de baixa densidade

      • Aumento do nível de atividade física espontânea

      • Melhora do humor e do sono

      • Contribuição na manutenção e/ou aumento da densidade óssea

      • Aumento da tolerância à glicose

      • Melhora na ingestão alimentar

      • Diminuição do peso e gorduras corporais

      • Melhora do condicionamento físico

      • Ajuda no controle de diabetes, hipertensão arterial, artrite, dislipidemia, depressão e ansiedade

  • Objetivo

    • • Fortalecer os músculos das pernas e das costas

      • Melhorar reflexos e a velocidade de andar

      • Manter o peso corporal

      • Melhorar a mobilidade e flexibilidade

      • Diminuir o risco de doenças cardiovasculares

      • Promover a independência e autonomia

      • Melhorar a qualidade de vida

  • Como é feita a escolha da atividade física adequada?

    • A escolha é feita individualmente após uma avaliação médica e de um profissional de educação física, levando em conta os seguintes fatores:

      • Preferência pessoal: o benefício da atividade física só é conseguido com a prática regular da mesma e sua continuidade depende do prazer que o indivíduo sente ao realizá-la. Sendo assim, caso não se adapte ao tipo de modalidade física iniciada, procure outras opções.

      • Aptidão necessária: algumas atividades físicas dependem de certas habilidades específicas do indivíduo para realização das mesmas, seguindo um programa de condicionamento gradual.

      • Risco associado à atividade: é necessário muito cuidado durante a prática de determinadas atividades físicas para evitar qualquer tipo de lesão. Doentes crônicos e indivíduos que já atingiram a terceira idade possuem algumas limitações que devem ser avaliadas caso a caso. Os benefícios são inúmeros, mas os exercícios físicos devem ser realizados da maneira correta, respeitando sempre os limites do corpo.

  • O que é?

    • É uma doença neurodegenerativa e incurável, porém existe tratamento, o qual tem como finalidade melhorar a saúde do paciente, amenizando os sintomas e controlando as alterações de comportamento, a fim de proporcionar conforto e qualidade de vida ao mesmo e aos seus familiares.

  • Quais são os sintomas?

    • • Perda de memória

      • Confusão mental

      • Irritabilidade

      • Alterações de humor

      • Desligamento da realidade

  • Serviços

    • • Atendimento Médico com Neurologista

      • Equipe Multidisciplinar: fonoaudiólogo, terapeuta ocupacional, psicólogo, enfermeiro, assistente social, nutricionista e fisioterapeuta

  • Objetivo

    • • Reconhecer e diagnosticar o problema

      • Acolher paciente e familiar/cuidador

      • Estimular o cérebro

      • Realizar atividades preventivas no combate ao avanço da doença

  • O que é?

    • É uma doença degenerativa, crônica e progressiva, que atinge o sistema nervoso central, ocasionando comprometimento dos movimentos.

  • Quais são os sintomas?

    • • Tremor de repouso

      • Rigidez

      • Alteração de marcha

      • Postura encurvada para frente

      • Lentidão dos movimentos

  • Serviços

    • • Atendimento Médico com Neurologista

      • Equipe Multidisciplinar: fonoaudiólogo, terapeuta ocupacional, psicólogo, enfermeiro, assistente social, nutricionista e fisioterapeuta.

  • Objetivos

    • • Reconhecer e diagnosticar o problema

      • Acolher paciente e familiar/cuidador

      • Estimular o cérebro

      • Realizar atividades preventivas no combate ao avanço da doença